Siga o Portal do Holanda

Se escondeu em viaduto

Parentes encontram na rua e prendem suspeito de matar ex-mulher a facadas

Publicado

em

Foto: Reprodução

RIO - Vanclécio Cordeiro, suspeito de matar a ex-mulher a facadas no domingo, foi preso nesta terça-feira, quando estava andando na rua perto do bairro de Colégio, na Zona Norte do Rio. Ele foi reconhecido por um primo de Fernanda de Souza Siqueira. Orlando Nunes, que é primeiro sargento do Exército, contou que estava com o irmão indo ao enterro de Fernanda, em Sulacap, quando avistaram Vanclécio.

Ao perceber a aproximação, o suspeito tentou fugir, escondendo-se debaixo de um carro. Orlando contou que foi ao local e o conteve, chamando a polícia em seguida. Fernanda de Souza Siqueira, de 29 anos, foi morta na porta do prédio onde o casal morava antes de se separar, em Vicente de Carvalho, também na Zona Norte do Rio.

— Estávamos vindo para o sepultamento e quando passamos pela Rua Guirareia, em Colégio, e o avistamos na rua. Paramos o carro. Eu, meu filho e meu irmão saímos correndo em perseguição. Ele correu, nós corremos, gritamos para as pessoas que vinham passando: 'pega, pega'. Ele tentou despistar, entrando pelas ruas da região. Só que ele pegou uma que não tinha saída. Ele sumiu, mas fui perguntando para as pessoas se alguém o tinha visto e acabei o encontrando embaixo de um carro. Fui para cima dele e então houve a prisão. Ele não reagiu — contou Orlando.

Segundo o militar, o ex-marido disse estar arrependido do que fez:

— A única coisa que ele perguntou quando efetuei a prisão foi como ela estava. Com certeza ele sabia, porque foi divulgado em todas as mídias. Ele só disse que não queria ter feito isso e perguntou como ela estava. É um alívio, um alento para a família saber que ele já está preso, que agora ele vai responder e que a justiça já está sendo feita  — concluiu.

Durante os poucos minutos em que conversaram, Vanclécio contou aos militares que, depois de esfaquear Fernanda, se escondeu embaixo do viaduto do Metrô de Colégio, onde passou a noite e foi alimentado por moradores de rua:

— Ele me perguntou como estava Fernanda. Eu disse: 'nós estamos indo ao sepultamento dela. Você matou Fernanda'.

Vanclécio Cordeiro confessou o crime ao delegado Luís Otávio Franco, da Delegacia de Homicídios (DH) da capital, que preside o inquérito,   e disse que agiu por ciúmes ao matar a ex-mulher. Ele prestou depoimento na manhã desta terça-feira na DH onde foi indiciado por feminicídio com os agravantes de ter sido por motivo torpe, sem chance de defesa da vítima. O delegado disse que Vanclécio está preso por um mandado de prisão temporária expedido pela justiça. Ele aguarda os laudos periciais para concluir o inquérito.

O sepultamento do corpo de Fernanda aconteceu no fim da manhã desta terça-feira no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap. Cerca de 300 pessoas participaram do velório e do enterro. Walter Siqueira, pai de Fernanda, caiu em prantos quando o caixão com o corpo da filha desceu à sepultura. A mãe dela, Janete de Souza Siqueira, estava inconsolável e não despediu-se da filha no velório. Ela não conseguir caminhar para ver o sepultamento do corpo de Fernanda.

Fernanda foi morta no domingo, após ter sido atraída para sua antiga casa por Vanclécio. Ela teria ido até o imóvel para devolver a chave, a pedido do ex-marido. Uma faca com cerca de 30 centímetros, usada no crime, foi apreendida no local. De acordo com o delegado Luís Otávio Franco, duas testemunhas foram ouvidas e confirmaram o envolvimento do suspeito.

Entre as testemunhas está uma de suas primas Jane de Souza, assistente de documentação da Biblioteca Nacional. Ela presenciou o assassinato .

— Eu o vi dando as facadas nela, mas não gosto de lembrar isso. Agora temos que seguir em frente, botar nos braços de Deus. Estamos felizes por ele (Vanclécio) ter sido preso.

Ela disse que a prima nunca comentou que o marido fosse violento.

— Para nós ele era pacífico. Ela nunca nos contou nada de violência em relação a ele. Fernanda era uma pessoa muito carinhosa e meiga. Sempre ajudando a todos. Agora gente está feliz pelo menos por que vai ter justiça. Uma parte de mim foi embora. Ela era como uma filha. Dava amor carinho. E a mãe dela está arrasado. Tenho Jesus no meu coração. Vamos seguir em frente e guardar a saudade — disse Jane.

Segundo relatos de parentes, Vanclécio tinha brigas constantes com a ex e não aceitava o fim do relacionamento. Apesar do histórico de desentendimentos, Fernanda nunca procurou a polícia. Vanclécio não tinha anotações criminais.

Histórico de brigas

Fernanda e Vanclécio se casaram em março de 2015, após alguns anos de namoro, e estavam separados há cerca de três meses. Pessoas próximas contam que ele chegou a apresentar comportamentos agressivos, principalmente quando ingeria bebidas alcoólicas, mas que nunca havia agredido fisicamente Fernanda. No entanto, discussões tornaram-se comuns entre o casal nos últimos meses de relacionamento.

A cunhada de Fernanda, a faturista Myriane Pedreira, de 44 anos, afirma que Vanclécio era muito ciumento e que a separação aconteceu após uma das brigas do casal. Na ocasião, ele chegou a quebrar o vidro do banheiro com um carregador do celular. Neste domingo, Fernanda estava com a família na casa dos pais quando ele ligou pedindo a entrega das chaves do imóvel no qual moraram juntos.

-

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Greve dos Rodoviários em Manaus

HOHA H ENTREVISTA: PRESIDENTE DA AGEMAN, FÁBIO ALHO

Amazonas

Copyright © 2006-2018 Portal do Holanda.